sexta-feira, 29 de abril de 2011

Como será o bolo do casamento real? Assista ao vídeo!

É hoje o dia do casamento do século. Ninguém mais aguenta falar, ouvir e ver cenas, fotos, e comentários sobre este casamento, mas... o bolo, que em uma cerimônia de casamento é quase a noiva...de tão importante, tornnou-se um tema não tão explorado nesta semana. E por isso, acrescentei neste post este vídeo da BBc Brasil mostrando detalhes do bolo do casamento do príncipe William com Kate Middleton. Diz que a festa terá dois bolos, um deles será feito pela famosa confeiteira Fiona Cairns, com instruções dadas pessoalmente pela futura princesa e, obviamente, a partir de hoje já deve ter ajustado os preços dos bolos e confeitos a um patamar mais elevado e que com certeza, ricos e famosos brasileiros vão fazer questão de ter um docinho feito por ela, em algum evento social. Este bolo feito pela Fiona terá várias camadas e, como manda a tradição, será de frutas. Veja o vídeo e delicie-se!!!

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Cebolas


O grande problema da cebola branca é o fato dela deixar o hálito esquisito. Por isso, naquela preparação peruana, ceviche, onde os pedaços de peixe crus são mega temperados com limão e cebola crua, estas cebolas cruas utilizadas são as deliciosas cebolas roxas...

E pasmem, depois de petiscar os ceviches, há quem beba o tempero (limão, cebola crua e às vezes até um destilado) pois tem a fama de deixar a pessoa mais disposta, com mais energia para um encontro romântico...
Quem diria, uma preparação que leva cebola crua é recomendada para..."namorar"!

Existem três tipos de cebola, as amarelas que são as mais consumidas no Brasil, as roxas, escolhidas como preferidas em muitas comunidades, por ter sabor mais suave e as brancas, com sabor mais forte.

Se você tiver cebola roxa fácil de encontrar na sua cidade ou bairro, prefira-as no lugar das brancas. Elas têm o poder de reduzir o colesterol ruim (LDL). Um estudo chinês, da Universidade de Hong Kong mostrou que a cebola roxa reduziu em 20% os níveis de LDL em oito semanas! Os pesquisadores dizem que o sulfóxido de cisteína (substância responsável pelo sabor e ardência dos olhos) e os esteróides (presentes no vegetal) diminuem a quantidade de colesterol absorvido nos alimentos durante o processo digestivo.

Bom, outra coisa legal é saber que a cebola roxa tem baixo valor calórico, é rica em minerais e vitamínicos, além de cálcio e magnésio. Enquanto a cebola branca também apresenta alto valor nutriente, a diferença entre elas está na diminuição da gordura no sangue, responsável pelo pigmento chamado antocianina. A substância inibe uma enzima que participa da síntese de colesterol no fígado, além de aumentar sua eliminação do organismo.

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Alimentos bacanas para os olhos

Sabia que abusar de gorduras, proteínas e álcool pode comprometer a função das lágrimas? Então que tal abusar de uma dieta rica em frutas, legumes e verduras para proteger os olhos?
Consumir mais alimentos ricos em vitaminas e minerais é fundamental para proteger seus olhos da síndrome do olho seco, que é comum em grandes cidades, onde as pessoas ficam expostas à poluição e ao ar condicionado. Acrescente então alguns alimentos bacanas no seu prato, mantenha uma alimentação saudável e enxergue melhor!!!!

Alimentos bacanas...




Espinafre
Couve
Brócolis
Mamão
Laranja
Maçã
Cenoura
Abóbora
Melão
Peixes
Castanhas (essas eu consumo diariamente!!)
Linhaça


Não dá para dizer que não consegue incluir um desses alimentos no dia a dia, né?

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

terça-feira, 26 de abril de 2011

Carne de sol e charque ou carne seca

Depois do alerta feito por Ana Maria, no programa desta segunda-feira (25) sobre o cuidado que devemos ter na hora da compra da carne seca, resolvi reproduzir um texto que acho bem explicativo sobre este produto abaixo.

Carne de sol e charque ou carne seca.
As duas formas de carnes desidratadas curtidas com sal são adoradas por muitos Brasil afora. Uma dissertação de mestrado da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), entretanto, aponta que essas delícias consumidas em todo o país podem ser foco de alto índice de contaminação. No estudo, que avaliou 44 amostras do produto vendido na Região Metropolitana da capital paulista, verificou-se que junto à carne havia desde pelos de rato e restos de insetos até bactérias causadoras de diarreia. A pesquisa serve como alerta sobre a qualidade da carne de sol e da carne seca consumidas em todas as regiões. Segundo a autora do estudo, a médica veterinária Tatiana Almeida Mennucci, a maior parte dos problemas relacionados à carne de sol e à carne seca é causada por manipulação e armazenamento incorretos. “Como a carne de sol é produzida artesanalmente, não existem normas oficiais para a sua elaboração e controles de qualidade e segurança”, afirma a pesquisadora. Ela conta que, por se tratar de um alimento de origem animal, ele merece os mesmos cuidados da carne comum, o que nem sempre acontece.

Após visitar diversas casas de produtos típicos do Norte e do Nordeste do país, a pesquisadora coletou amostras e enviou para análise microbiológica no Laboratório de Microscopia Eletrônica do Instituto Adolfo Lutz. “Houve presença significativa de contaminantes proibidos pela legislação, como insetos mortos, fragmentos e larvas de insetos e pelos de roedores”, relata a médica veterinária. “Também foram encontrados ácaros, bárbulas (filamentos das penas de aves), fungos e pedaços de ossos, madeira e plástico”, afirma. Segundo o estudo, pelo menos 90% das amostras apresentavam algum tipo de contaminação.

Outro problema apontado pela pesquisa foi a contaminação por bactérias. A análise da Universidade de São Paulo apontou que metade das amostras possuíam algum tipo de contaminação do gênero. “Verificou-se contaminação por Salmonella spp, Escherichia coli e Staphylococcus aureus, todas associadas a quadros de diarreia em seres humanos”, aponta Tatiana. “Os maiores riscos à saúde são causados pela Staphylococcus aureus, cuja multiplicação no produto salgado in natura propicia a produção de uma toxina nociva, que não é eliminada quando o produto é submetido a processo térmico”, alerta.

Higiene

A manipulação da carne pelos vendedores também foi outro problema detectado. Segundo Tatiana Almeida, muitos estabelecimentos não apresentavam condições adequadas de higiene. Foram comuns, por exemplo, casos em que a pessoa que manipula a carne utilizava adornos como relógios e pulseiras. “O contato com diversos tipos de alimentos e produtos faz com que esses objetos acumulem sujeira, que também poderá ser um veículo de contaminação cruzada”, explica a médica veterinária.

Para ela, a solução para o problema passa pela fiscalização. “As entidades fiscalizadoras devem exigir a presença de lavatórios para higienização das mãos nesses locais, além de maior proteção dos alimentos que, de preferência, devem ser mantidos sob refrigeração”, aponta Tatiana. Ela sugere também que sejam oferecidos cursos de treinamento para as pessoas que manipulam esse tipo de alimento, “para que possam lidar com os alimentos de forma adequada, evitando riscos para a saúde”.

Apesar de a pesquisa ter sido realizada em São Paulo, ela serve de alerta para a qualidade da carne de sol consumida no Distrito Federal. O casal Osiel Simão de Sousa, 70 anos, e Eurides Campos de Sousa, 62, divide as tarefas na hora de preparar carne de sol sem correr riscos. Ele fica atento na hora da compra e a esposa, cozinheira de mão cheia, não dispensa cuidados durante a preparação do prato. “Na hora de comprar, fico de olho na coloração da carne, se ela está bem vermelhinha, se não tem manchas esbranquiçadas nem azuladas”, comenta Osiel, que só compra em casas especializadas em que já conhece a origem do produto.

Segundo ele, o problema é que muitos açougueiros utilizam produtos impróprios para o consumo para produzir o charque. “Tem muito dono de açougue que, para evitar prejuízos, usa carne vencida para fazer carne de sol”, conta. Na hora do preparo, a esposa não deixa de limpar o alimento e cozinhar bastante. “Eu pico em pedaços menores e esfrego sob a água várias vezes, depois cozinho e frito até ela ficar no ponto ”, descreve Eurides Campos.

Cuidados

Antônio Gomes abriu há uns anos um açougue em Ceilândia e, ao contrário de muitas casas de produtos nordestinos na região, que conservam a carne de sol exposta em estufas feitas de tela, ele não as deixa fora do freezer. “Para fazer a carne de sol, eu uso carne nova, igual à que é vendida para os clientes. Acho errada essa história de utilizar carne velha, sem falar que é contra a lei”, comenta o açougueiro.

De acordo com Maria Cecília Brito, diretora da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a responsabilidade pela fiscalização dos estabelecimentos é descentralizada. para os órgãos de Vigilância Sanitária dos estados e do DF. Ela explica que, caso o consumidor encontre algum estabelecimento descumprindo alguma norma, deve entrar em contato com os órgãos de vigilância sanitária de sua localidade. “Alimentos com prazo de validade vencido ou armazenados de forma inadequada devem ser comunicados ao serviço de vigilância sanitária. Além disso, a Anvisa também dispõe de um canal de comunicação direto com a população, que é o telefone 0800-6429782”, conclui

(fonte:http://www.formadoresdeopiniao.com.br)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Mudanças nos alimentos?

O primeiro estudo sobre o perfil nutricional dos alimentos, divulgado este mês pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), revelou que alguns dos produtos mais consumidos pelos brasileiros estão muito longe de prover uma alimentação saudável. Apenas um pacote de macarrão instantâneo tem mais sódio que a quantidade que uma pessoa deveria consumir em um dia.
Sucos e néctares de fruta, que muitos bebem como alternativa saudável, têm mais açúcar que refrigerantes, e um pacote de batatas fritas quase esgota o limite de gorduras saturadas tolerado para um dia.

“A preocupação é maior porque o excesso desses nutrientes está diretamente ligado à obesidade e ao crescimento das doenças crônicas, como diabete, hipertensão, problemas no coração”, afirmou Maria Cecília Brito, diretora da Anvisa.

O perfil nutricional mostrou que um hambúrguer bovino tem 825 miligramas de sódio, quando o máximo que uma pessoa deveria consumir em um dia são 2,4 mil mg. Um sanduíche acompanhado de refrigerante light e uma porção de batata frita ultrapassa metade do que deveria ser consumido diariamente.

A pesquisa revelou que há diferenças imensas entre as marcas. Uma marca de batata palha pode ter 14 vezes mais sódio que outra; um salgadinho de milho, 10 vezes mais gordura saturada e 12,5 vezes mais sódio; uma marca de biscoito recheado, 6,3 vezes mais gordura.
Há alimentos iguais, mas que são menos saudáveis que outros. A população deve olhar os rótulos. Não podemos colocar um ‘a Anvisa recomenda’, mas o consumidor tem informações para fazer a melhor escolha”, diz Maria.

No fim do mês, a Anvisa e o Ministério da Saúde vão se reunir com representantes da indústria alimentícia para tentar definir metas de redução de sódio, açúcares e gorduras saturadas nos alimentos, da mesma forma que foi feito com a gordura trans, hoje quase ausente da maior parte dos alimentos industrializados.
No caso desses três nutrientes, há, segundo a Anvisa, outras dificuldades. Uma delas é a tecnologia. O sódio, por exemplo, é usado em muitos casos como conservante. “Mas pelas diferenças que encontramos, podemos ver que é possível uma redução gradual”, diz Maria.

Outra dificuldade é o paladar do brasileiro, acostumado a comidas bem temperadas e bebidas e biscoitos muito doces. “Se exigirmos uma modificação imediata da composição, não vai adiantar. As pessoas simplesmente vão colocar sal ou adoçar”, diz Denise de Oliveira Resende, gerente-geral de alimentos da Anvisa. “É preciso um processo de reeducação.”

fonte: ESTADÃO

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Atenção para os chocolates

Um alimento muito consumido nesta época de Páscoa são os chocolates, que precisam de atenção na hora da compra. A infinidade de tipos, marcas, origens, cores, qualidades, que hoje encontramos no chocolate pode trazer uma séria de dúvidas. Qual comprar? O tipo que mais te agradar, afinal de contas, já que vamos adquirir uns kilinhos a mais, que seja com prazer!!!!! Mas algumas observações podem ser vistas e anotadas para fazer bonito no almoço de Páscoa.

É preciso que os ovos de páscoa, os bombons e os tabletes de chocolate estejam armazenados em local fresco e arejado. Verifique ainda se não há a incidência direta da luz solar ou contato com a umidade.

A embalagem deve estar íntegra, sem furos ou amassadas e conter as informações obrigatórias na rotulagem como denominação de venda, data de validade, nome e endereço do fabricante, informação nutricional, dentre outros.

Chocolates podem ser consumidos, mas com moderação!

A Páscoa se aproxima. Nessa data, alguns cuidados com a alimentação são importantes, como evitar o consumo excessivo de chocolate.

De modo geral, os Ovos de Páscoa e os outros tipos de chocolate expostos à venda são preparados com muito açúcar e gorduras, substâncias que em excesso podem prejudicar a saúde.

Além disso, muitas vezes os chocolates possuem recheios ricos em açúcares e gorduras, principalmente gorduras trans. O consumo excessivo desse tipo de gordura pode elevar os teores do colesterol total e do colesterol ruim (LDL Colesterol) e reduzir os níveis de colesterol bom (HDL Colesterol) no sangue. Segundo a Organização Mundial de Saúde, não existe recomendação para a ingestão de gorduras trans, o ideal é que se consuma o mínimo possível essas substâncias.

Dessa forma, se consumidos em excesso, os chocolates podem trazer problemas futuros, como o aumento do peso e das taxas de colesterol no organismo.

Uma dica importante na hora de comprar chocolates ou Ovos de Páscoa é verificar a lista de ingredientes e a tabela de informação nutricional constantes nos rótulos. Os ingredientes utilizados na preparação ou fabricação dos chocolates são declarados, na lista de ingredientes, em ordem decrescente de quantidade. Assim, deve-se optar por chocolates com maior teor de cacau e, consequentemente, menos açúcar. Com relação à avaliação da tabela de informação nutricional, os chocolates com menor quantidade de gordura saturada e trans devem ser priorizados.

No caso de crianças, os pais devem ainda estar atentos à higiene bucal dos seus filhos. Os altos teores de açúcares presentes nos chocolates contribuem para o surgimento de cáries.

Mas vale ressaltar alguns aspectos positivos do chocolate. Os chocolates feitos ao leite podem ser fontes de proteínas e cálcio, nutrientes importantes para o organismo.

Assim, a regra para o consumo de chocolates tanto na Páscoa quanto no restante do ano é MODERAÇÃO!


Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

Medalhão de bacalhau


Claro que tenho que colocar aqui a receita tão procurada nas redes sociais desta quarta-feira (20). Medalhão de bacalhau é uma invenção da nossa cozinha, que misturou idéis e tentativas para transformar aquele pedaço de bacalhau não tão nobre quanto o lombo, em uma preparação linda, deliciosa, fácil e que vai encantar nesta Páscoa. Ah, faça a pele do bacalhau fruta. Parece um torresminho!
Abaixo a receita. Vale fazer e ainda dá tempo para dessalgar!

INGREDIENTES
1 kg de bacalhau salgado (tipo Zarbo)

200 g de batata cozida ralada
1 ovo batido
¼ xícara (chá) de azeite (50 ml)
sal e pimenta do reino a gosto

óleo para fritar a pele do bacalhau

¼ xícara (chá) de azeite (50 ml) para grelhar os medalhões

MODO DE PREPARO:
Pele do bacalhau

1°- Retire a pele de 1kg de bacalhau salgado e coloque em uma tigela com água gelada para dessalgar por 2h.

2°- Depois deste tempo escorra a pele do bacalhau, seque-a com papel absorvente, tempere com sal e frite em óleo não muito quente (160ºC) até ficar crocante (+/- 5 minutos). Reserve.

Medalhão de bacalhau

3°- Lave o bacalhau e coloque-o em outra tigela com água gelada. Leve para a geladeira e troque a água de 4 em 4 horas, durante 24 horas. OBS: A água para dessalgar o bacalhau deve estar sempre gelada, mantenha-a na geladeira.

4°- Depois de dessalgar o bacalhau por 24 horas coloque-o em uma panela com água até cobrí-lo e cozinhe por +/- 10 minutos. OBS: tome cuidado para não cozinhar demais. Escorra o bacalhau, retire as espinhas e deixe-o em lascas.

5°- Numa tigela misture o bacalhau cozido com 200 g de batata cozida ralada, 1 ovo batido, ¼ xícara (chá) de azeite e pimenta do reino a gosto. Acerte o sal se necessário. Com as mãos pegue uma porção desta massa (com +/- 150 g) e modele no formato de medalhão e reserve. Faça isso com o restante da massa.

6°- Leve ao fogo alto uma frigideira com ¼ xícara (chá) de azeite e grelhe os medalhões, dourando bem dos dois lados (+/- 3 minutos cada lado). Sirva em seguida, acompanhado de brócolis ao alho e óleo, pétalas de cebola ao azeite e a pele do bacalhau frita.

OBS: o rendimento de 1kg de bacalhau salgado é de +/- 400 g de bacalhau dessalgado e cozido em lascas.

Feliz Feriado! Boa Páscoa!
 
Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Como escolher peixes?

Dúvidas para escolher o melhor peixe para a Páscoa? Confira as dicas que ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) separou para nós quando formos comprar peixes O que devemos observar?

Peixe fresco

• Estar livre de: contaminantes físicos (areia, pedaços de metais, plásticos e/ou poeira), químicos (combustíveis, sabão e/ou detergentes) e biológicos (bactérias, vírus e/ou moscas).

• Aparência: ausência de manchas, furos ou cortes na superfície.

• Escamas: bem firmes e resistentes. Devem estar translúcidas (parcialmente transparentes) e brilhantes.

• Pele: úmida, tensa e bem aderida.

• Olhos: devem ocupar toda a cavidade, ser brilhantes e salientes, sem a presença de pontos brancos ao centro do olho.

• Membrana que reveste a guelra (opérculo): rígida, deve oferecer resistência à sua abertura. A face interna deve estar brilhante e os vasos sanguíneos, cheios e fixos.

• Brânquias: de cor rosa ao vermelho intenso, úmidas e brilhantes, ausência ou discreta presença de muco (líquido pastoso).

• Abdômen: aderidos aos ossos fortemente e de elasticidade marcante.

• Odor, sabor e cor: característicos da espécie que se trata.

• Conservação: deve ser mantido sob refrigeração ou sobre uma espessa camada de gelo.

Peixe congelado

• Conservação: verifique se o produto está armazenado na temperatura de conservação informada pelo fabricante na embalagem. Os produtos não podem estar amolecidos ou com acúmulo de líquidos, sinal de que passaram por um processo de descongelamento. A presença de gelo ou muita água indica que o balcão foi desligado ou teve sua temperatura diminuída temporariamente.

Peixe salgado seco

No Brasil é reconhecido como bacalhau todo opeixe salgado e seco. Existem no mercado nacional cinco espécies de peixe diferentes: Gadus morhua (Cod) e Gadus macrocephalus, que são reconhecidas como bacalhau legítimo, e Saithe, Ling e Zarbo.

Na hora de comprar o bacalhau é preciso estar atento a algumas dicas:

• O produto deve ser armazenado em local limpo, protegido de poeira e insetos;

• Verifique se não há a presença de mofo, ovos u larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial, amolecimento e odor desagradável, que indicam que o produto não está bom para consumo;

• Quando vendido embalado, deve apresentar no rótulo a denominação de venda, data de validade, país de origem, prazo de validade, selo de inspeção federal e outras informações obrigatórias;

Crustáceos
• devem ter aspecto geral brilhante, úmido; corpo em curvatura natural, rígida, patas firmes e resistentes; pernas inteiras e firmes; carapaça bem aderente ao corpo; coloração própria à espécie, sem qualquer pigmentação estranha; não apresentar coloração alaranjada ou negra na carapaça e apresentar lhos vivos, destacados, cheiro próprio e suave.

Caranguejos e siris
• devem estar vivos e vigorosos; possuir cheiro próprio e suave; aspecto geral brilhante, úmido; corpo em curvatura natural, rígida, patas firmes e resistentes; pernas inteiras e firmes; carapaça bem aderente ao corpo; coloração própria à espécie, sem qualquer pigmentação estranha e devem apresentar olhos vivos, destacados.

Mariscos
• devem ser expostos à venda vivos, om valvas fechadas e com retenção de água incolor e límpida nas conchas; apresentar cheiro agradável e pronunciado; ter a carne úmida, bem aderente à concha, de aspecto esponjoso, de cor acinzentada-clara nas ostras e amarelada nos mexilhões.
Polvos, lula

• devem ter a pele lisa e úmida; olhos vivos e salientes; carne consistente e elástica; cheiro próprio (levemente adocicado); e ausência de qualquer pigmentação estranha à espécie.


E Boa Páscoa!


Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

Iogurte Densia


Dois copos de 200 mililitros de leite contêm mais cálcio do que o iogurte da Danone enriquecido e com o dobro do custo.

Um iogurte Densia da Danone assegura manter os ossos fortes e preencher metade da dose diária de cálcio recomendada, 800 miligramas (mg). A promessa é cumprida, pois um copo de iogurte de 125 gramas apresenta 400 mg. Cada embalagem contém ainda a vitamina D necessária por dia, que ajuda a assimilar o cálcio.

O teor em cálcio do Danone Densia impressiona menos a cumprir as necessidades a partir dos 50 anos, um dos alvos da publicidade deste produto. Mulheres em menopausa, por exemplo, precisam de cerca de 1200 mg de cálcio por dia para reduzir o risco de osteoporose. Nesse caso, um copo de Densia ajuda com cerca de 33% da dose diária. Mas o rótulo não quantifica as necessidades daquele grupo.

Comparado com o Danone puro aroma de morango, por exemplo, com 146 mg de cálcio por dose, o Densia contribui com mais do dobro daquele mineral. O acréscimo paga-se na mesma proporção: o primeiro custa, em média, 25 cêntimos por unidade, o enriquecido fica a 50 cêntimos. Por dois copos de leite de 200 mililitros, paga metade e ganha 80 mg em cálcio face a um Densia.

(fonte:http://www.deco.proteste.pt)
 
Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

terça-feira, 19 de abril de 2011

O D.O.M. de Alex Atala

O restaurante D.O.M., do chef Alex Atala, conquistou a sétima posição no prestigiado ranking dos melhores restaurantes do mundo organizado pela revista britânica Restaurant.
(Alex Atala)
O resultado conquistado por Atala representa um salto de 11 posições em relação à lista de 2010 e deixa novamente o D.O.M. na posição de melhor restaurante da América Latina.

A lista completa, que será anunciada hoje à noite em Londres, tem como novidades a classificação de outros dois brasileiros entre os 100 melhores do mundo: Fasano, do restaurateur Rogério Fasano, aparece na 59ª posição, e Maní, dos chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo, na 74ª.
(Helena Rizzo e Daniel Redondo)
(Rogério Fasano)
O restaurante NOMA, do chef dinamarquês Renè Redzepi, manteve-se em primeiro lugar pelo segundo ano consecutivo. Seguido por duas casas espanholas: El Celler de Can Roca e Mugaritz.
(Renè Redzepi)
No quarto lugar da lista está o italiano Osteria Francescana e o inglês The Fat Duck, de Heston Blumenthal, completa o top 5.
Ferran Adrià, que no ano passado recebeu nessa mesma premiação o reconhecimento de melhor chef da década, ficou de fora da lista este ano. Ele fecha as portas de seu restaurante, El Bulli, em julho.
(Ferran Adrià)
O ranking da revista "Restaurant" é feito a partir de votos de mais de 800 jurados ligados à gastronomia em várias partes do mundo.

Confira a lista dos dez primeiro lugares:

1 - Noma (Dinamarca)
2 - El Celler de Can Roca (Espanha)
3 - Mugaritz (Espanha)
4 - Osteria Francescana (Itália)
5 - The Fat Duck (Reino Unido)
6 - Alinea (EUA)
7 - D.O.M. (Brasil)
8 - Arzak (Espanha)
9 - Le Chateaubriand (França)
10 - Per Se (EUA)

Parabéns Alex, Rogério, Helena e Redondo!


Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Morre o dono do Ferrero Rocher

Segundo o blog do Paladar, Pietro Ferrero, diretor-geral do grupo italiano de chocolates Ferrero, morreu nesta segunda-feira na África do Sul aos 47 anos (aos 47 anos!!!!!!!!!!!!!!!!!). Ele estava no país em viagem de negócios e, segundo comunicado da empresa, morreu enquanto andava de bicicleta, seu esporte favorito.

Pietro Ferrero era neto do fundador da empresa e tinha o nome do avô. Junto com seu irmão Gianni, dirigia a gigante italiana do chocolate, dona das marcas Nutella, Ferrero Rocher, Kinder e Tic-Tac, entre outras. Seu pai, Michele Ferrer, de 85 anos, é considerado o homem mais rico da Itália.

A lenda da família Ferrero começou nos anos 40, quando um confeiteiro de Alba, Pietro Ferrero, usou avelãs para substituir o cacau, criando um creme que ficou mundialmente conhecido como Nutella.

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

Nhoque de Batata Doce!

Neste fim de semana fiquei em São Paulo, em casa, com minha mãe, Célia.
No sábado, logo pela manhã ela me disse que estava com muita vontade de fazer Nhoque de Batata Doce para o almoço de domingo. Nunca tinha feito, mas queria testar uma receita inventada. Fomos ao supermercado e compramos os ingredientes.
No domingo o nhoque foi feito e surpreendentemente ficou maravilhoso!!!!
Muito suave e delicado. Facílimo de fazer, leva poucos ingredientes e é mega saudável. Por isso, anotei a receita e repasso abaixo.



Receita de Familia - Nhoque de Batata Doce da D. Célia

Ingredientes
- 600 g de batata doce com casca
- 2 colheres (sopa) de farinha de trigo
- 2 claras
- 2 colheres (sopa) de ricota defumada ralada (se quiser substitua por queijo parmesão ralado)

Modo de Preparo:
1 - Descasque as batatas doces e cozinhe em banho-maria (receita original) ou no microondas até que fiquem macia. Amasse com um garfo ou no amassador de batatas. OBS: a batata doce é bem seca e por isso, na hora de amassá-la ela é maisdura que a batata comum.
2 - Coloque a batata doce amassada em uma tigela e junte 2 claras e amasse bem com as mãos. Polvilhe a farinha de trigo e a ricota defumada (ou parmesão ralado) até ficar uma massa lisa e homogênea.
3- Pronto!!! Faça os nhoques como de costume (faça rolinhos e corte os rolinhos em bolinhas pequenas) e cozinhe em água fervente. Assim que os nhoques subirem, coloque-os em uma travessa com molho de tomate e sirva polvilhado com queijo parmesão.
4 - Agora é só repetir o prato!!!!!
Hummmm!!!!

Bom, curiosa que sou, fui em busca de informações a respeito da batata doce.... e ela me surpreendeu. Dê uma olhada.

BATATA DOCE

A batata-doce é originária da América Central. Desenvolve-se na extremidade da raiz de uma planta rasteira. É idêntica às batatas comuns, mas, por ser rica em açúcar, tem um sabor doce e uma consistência farinácea.
Os quatro tipos de batata-doce que existem distinguem-se pela cor, cuja intensidade está diretamente relacionada com a percentagem de beta-caroteno – utilizado pelo nosso organismo para produzir vitamina A – que possuem, e pelo sabor. A branca é seca e não muito doce. A amarela apresenta um grau de doçura superior. A roxa é mais agradável e, por isso, a predilecta para os doces. Há ainda a batata avermelhada. Algumas possuem o formato clássico de uma batata, arredondado, outras são mais compridas e afuniladas.

A batata-doce é rica em calorias, hidratos de carbono, vitaminas A, B1 e B5, e sais minerais: cálcio, ferro, fósforo, sódio e potássio. Apenas 100 gramas de batata-doce contêm uma quantidade de vitamina A equivalente a 23 quilos de batata comum! As folhas também são nutritivas e podem ser preparadas como qualquer outra verdura.
A vitamina A é essencial para a saúde dos olhos, da pele e do aparelho respiratório. As vitaminas do complexo B regulam o sistema nervoso e o aparelho digestivo. Os minerais contribuem para a formação dos ossos e dos dentes, sendo ainda auxiliares da regeneração sanguínea

É bom lembrar que é melhor cozinhar ou assar as batatas com casca, podendo também ser fatiada em rodelas e frita.. As suas propriedades antioxidantes estão especialmente presentes na casca, correspondendo ao triplo da atividade verificada na polpa, independentemente da sua cor. Se for cozida no vapor, conserva todas as características. Se cozinhar na água, acabam por perder-se alguns nutrientes, e principalmente as vitaminas. Ao ser assada, assegura-se a manutenção de grande parte dos nutrientes; todavia, adquire o sabor dos alimentos que a acompanham.

A batata-doce oferece alguns benefícios para a saúde, principalmente o que se refere ao combate da obesidade (pelo elevado grau de saciedade que proporciona), da arteriosclerose e da hipertensão arterial.
(fonte: Rua Direita)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você


domingo, 17 de abril de 2011

Conheça o Frozen Yogurt

Uma matéria publicada ontem (15) pela revista Época, e muito bem escrita pela Laura Lopes, mostra o outro lado dos saudáveis Frozen Yogurt que a grande maioria das pessoas desconhece.

As lojas especializadas em frozen yogurt se multiplicaram no último ano – 79 redes foram criadas em 2010 – e o segmento movimentou quase R$ 76 bilhões neste período. O crescimento superou todos os outros tipos de franquias dentro do ramo da alimentação. Mas o que se oferece ao consumidor não pode ser chamado de frozen yogurt, segundo a Proteste Associação de Consumidores. A entidade avaliou oito marcas do produto vendidas em São Paulo para checar se, como sugere o nome em inglês, elas seriam compostas de "iogurte gelado". Apenas uma – Yogen Fruz – continha o número mínimo de bactérias por grama para ser classificado como iogurte. Foram "reprovadas" as marcas Yogolove, Yoggi, Yogoberry, Yoforia, Tutti Frutti Frozen Yogurt e Bendita Fruta. Já a Yogofresh não apresentou iogurte no produto, segundo o teste. A Proteste sugere, então, que os produtos reprovados sejam chamados de sorvete à base de iogurte.

As empresas se defendem dizendo que, uma vez que o mercado de frozen yogurt é muito recente no Brasil, ainda não há uma regulamentação específica para o gelado. Ou seja, não se trata de um iogurte frozen (congelado), ele é apenas ingrediente de uma receita, às vezes a principal matéria-prima.

O teste feito pela Proteste foi encaminhado ao Ministério Público do Rio de Janeiro, que já estava apurando a falta de informação adequada aos consumidores. O promotor responsável está chamando as empresas para assinar um termo de ajustamento de conduta (TAC) para que se comprometam a informar que o produto é um sorvete à base de iogurte e que forneçam informações nutricionais detalhadas no interior de suas lojas. Yoggi, Yogolove e Yoforia estão prestes a assinar o TAC.

Seguem as respostas das empresas "reprovadas":

Yogofresh

De acordo com a legislação brasileira, não existe uma lei específica para o tipo de produto frozen à base de iogurte. Sendo assim, classificamos sem embasamento legal a avaliação constante da avaliação da Proteste. O sorvete é classificado como gelado e comestível na subcategoria 2.2.1.3, a qual define quantidade mínima de gordura em 3%. Vale ressaltar que o produto Yogofresh possui 0% de gordura, não podendo o mesmo ser classificado nessa subcategoria, como a própria matéria atesta. Aliás, conquanto a distorcida avaliação acabe por pretender colocar o Yogofresh em situação distinta dos demais, atribuindo-lhe isoladamente a classificação como 'apenas sorvete', o laudo anexado ao inquérito civil pela Proteste não faz essa distinção, classificando nosso produto, a exemplo de todos os demais à exceção do Yogen Fruz (que tem quase o dobro do nosso índice de açúcar), como sorvete à base de iogurte, sendo certo que a última promoção do Ministério Público após o laudo do Proteste também nos coloca em idêntica situação. Nosso produto continua sendo um produto saudável, de baixo índice glicêmico – metade do percentual de açúcar comparado à concorrência –, baixas calorias e zero gordura. Ele será certificado pela mais importante esfera governamental do setor.

Yogoberry

Nosso produto passa por um rígido controle de qualidade. O frozen yogurt da Yogoberry é um alimento saudável de baixa caloria, com zero de gordura e que utiliza o iogurte como sua principal matéria-prima. Em função do alto número de vendas na rede Yogoberry, o frozen yogurt permanece menos tempo nas máquinas, desacelerando o processo de proliferação dos lactobacilos. Em contrapartida, a Yogoberry, que já realizava estudos para aumentar o nível de bactérias lácticas a 107 UFC/g, desenvolveu uma maneira para alcançar a percentagem apontada no teste. Em um mês todos os frozens da marca já estarão com a nova contagem de lactobacilos. Ainda assim, nosso produto garante os mesmos benefícios do alimento, tendo em vista que utilizamos um alto nível de iogurte em nossa fórmula.

Bendita Fruta

O frozen yogurt da Bendita Fruta possui 2g de gorduras totais, 0% de gordura trans e zero% de gorduras saturadas em 100g de preparado. É possível que tenha ocorrido uma oscilação momentânea de 0,64g de gordura total, em função da utilização de fornecedor de iogurte natural diferente do habitual. Garantimos que o produto oferecido aos clientes possui a qualidade esperada e adequada ao tipo de alimentação a que se propõe. A Bendita Fruta disponibiliza aos seus clientes nas lojas uma tabela com os dados nutricionais do produto, na qual é indicada a presença de carboidratos, proteínas e gorduras totais em sua composição. Passaremos a divulgá-la no site e a destacar que o frozen yogurt possui sacarose, lactose e não contém glúten. O frozen yogurt da Bendita Fruta possui iogurte natural na sua composição. Medidas serão tomadas para dar maior visibilidade aos consumidores a respeito da composição do nosso frozen yogurt.

Yoggi

O Yoggi, pioneiro no segmento no país, sempre foi transparente com seus clientes e jamais omitiu informações ou forneceu dados incorretos sobre seus produtos. Todas as informações reveladas pelo Proteste estão alinhadas com as que são passadas pela empresa ao mercado em suas lojas, sites, materiais de divulgação e outras mídias. A empresa esclarece, também, que o mercado de frozen yogurt é tão recente no Brasil que ainda não conta com regulamentação específica. A rede é a única no país que possui fabricação própria, um núcleo de desenvolvimento e qualidade, além de uma parceria com uma consultoria internacional de sorvetes e lácteos. O Yoggi se coloca à disposição de seus clientes, imprensa e técnicos do Proteste para mais esclarecimentos.

Yogolove

Nos EUA, onde o frozen yogurt se difundiu, existe uma regulamentação para que o produto seja considerado como tendo propriedades de iogurte, isto é, culturas lácteas vivas. Eles estabeleceram um mínimo de culturas vivas para que pudesse colocar um selo indicando "contém culturas vivas". Os produtos que não atingem esse número de culturas continuam chamando seus produtos de frozen yogurt, porém não podem colocar o selo. No Brasil ainda não existe uma regulamentação. O teste da Proteste é valido, porém não tem como objetivo estabelecer um padrão para nosso mercado e sim constatar aquilo que sempre informamos para nossos clientes "o frozen yogurt é um sorvete a base de iogurte natural". A palavra frozen yogurt é uma palavra comercial e não pode ser traduzida ao pé da letra como "iogurte gelado", pois mesmo nos países que difundiram o frozen (EUA e Coréia do Sul) diversos deles não têm culturas vivas e são chamados de frozen yogurt. O grande problema foi que no Rio de Janeiro muitas lojas não informavam a composição do produto ou criavam confusão na cabeça do cliente dizendo "o que é o iogurte" ou com frases "não é sorvete", como se o produto tivesse as mesmas propriedades de um iogurte ou não fosse um sorvete, o que sabemos não ser a realidade. A grande contribuição desse processo que estamos passando com a proposta do Ministério Público da qual somos signatários, é informar corretamente ao cliente o que ele está consumindo sem criar confusões ou mal entendidos. Utilizamos além do iogurte em pó, que quase todas utilizam, iogurte fresco (20% da composição) que confere uma contagem de culturas bem maior que nossos concorrentes além de aspectos de sabor, aroma e textura diferenciados.

Yoforia

Afirmou que postaria no blog yoforia.blogspot.com uma resposta aos clientes. Mas até o fechamento desta reportagem, ainda não havia publicado. O último post é de junho de 2009.

A Tutti Frutti Frozen Yogurt foi procurada pela reportagem, mas não retornou o contato.

Para nós, vale ficar atento aos nossos direitos e às novas narmas de informações.

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

sábado, 16 de abril de 2011

Festival Songkran: Ano Novo Tailandês

Se você esta em São Paulo, gosta de comida tailandesa, uma viagem gastronômica diferente, de conhecer novos sabores, cores, aromas, ainda dá tempo, começou nesta quarta-feira (14)


Seguindo o calendário de celebrações nos países do sudeste asiático, o restaurante Bankao organizou um menu especial para o Festival Songkran, o Ano Novo Tailandês, comemorado entre os dias 13 e 23 de abril. Festejado a partir do primeiro dia da quinta lua crescente, a data comemorativa tem como objetivo deixar para trás o que não deu certo e renovar e purificar as energias para o ano que começa. Para a ocasião, o chef Junior Messa pesquisou o receituário local e apresenta uma seleção de pratos típicos e inéditos. São duas entradas, dois pratos principais e duas sobremesas, todas cobradas à la carte.

Conhecida pela mistura dos sabores doce, apimentado, amargo e salgado, e o uso de ervas, especiarias e frutas, a culinária tailandesa tradicional durante os dias de festa é representada nas entradas Meekrop (R$ 14), camarões e frango fatiado fritos com molho agridoce de laranja, e a Yam Kha Kung (R$ 14), uma deliciosa salada de camarões fritos no gengibre com folhas verdes. Destacando a mistura de sabores, nos pratos principais estão o Kao Ped Lince (R$ 38), arroz de pato com lichia e gengibre em leito de bifum frito. Outra opção é o Pad Nuea Massaman (R$ 38), talharim de arroz frito com curry e filé mignon. Ao final, as sobremesas refrescam o paladar com sorvete de coco servido com doce de abóbora, o Xis Khrin mapraw (R$ 9), e a Mus Lince (R$ 12), uma mousse de lichia servida com sorbet de manga.

Songkran, na língua tailandesa, significa “mover” ou “trocar de lugar” (em referência ao dia em que o sol muda sua posição no zodíaco) e simboliza um novo começo, inerente às comemorações de passagem de ano. Durante os três dias da comemoração, os tailandeses limpam suas casas, visitam os templos, fazem oferendas e realizam grandes banquetes de pratos clássicos do país. A população costuma, também, vestir seus melhores trajes e sair às ruas para jogar água, símbolo de pureza, umas nas outras e molhar as mãos de Buda, para espantar os pensamentos, as ações ruins e desejar boa sorte. Além do significado espiritual, a água é hoje vista como uma forma de aliviar o calor dessa época do ano no país e, por isso o Songkran é também conhecido como o “Festival da Água”.

Bankao quer dizer “casa de arroz” em tailandês, em referência a esse ingrediente sagrado que une as cozinhas de diversos países da região do Sudeste Asiático. O restaurante apresenta um panorama da culinária de países como Tailândia, Malásia, Vietnã, Laos, Camboja e Cingapura. Instalado no bairro do Itaim desde outubro de 2009, o restaurante-lounge tem ambiente moderno e confortável. No comando da cozinha está o talentoso chef Junior Messa, grande estudioso da gastronomia asiática e discípulo de David Zisman, proprietário do carioca Nam Thai, com quem trabalhou durante seis anos.

Serviço:
Rua Manuel Guedes, 444. Tel.: (11) 3168- 0662
Capacidade: 96 lugares
Dias e horários de funcionamento:
segunda à quarta 12h às 15h e 19h30 às 24h.
Quinta à sexta 12h às 15h e 19h30 à 1h30.
Sábado das19h30 à 1h30.
Estacionamento com manobrista: R$ 15
(maiores informações: marina@anexocom.com.br)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Comida di Buteco 2011 – Rio de Janeiro - Feijoada Maravilha!!!!!


Dia 15 de abril deste ano (hoje!!!!!!) o carioca começa a participar de uma eleição em que os ingredientes que originaram a feijoada* dão as ordens. Pelo quarto ano, a cidade recebe o concurso Comida di Buteco. Nessa edição todos os petiscos concorrentes, além de inéditos e exclusivos, tiveram que ser desenvolvidos pelos bares sempre com um destes quatros elementos na receita: feijão preto, carne seca, laranja ou farinha de mandioca. Mais carioca impossível. A escolha dos ingredientes foi feita pelo gastrônomo e realizador do concurso, Eduardo Maya.
(foto 1 - Bar Adega Pérola - Petisco Pérola de Alho com Molho de laranja

A deliciosa competição pelo prêmio de melhor boteco da cidade duraráum mês. Se para concorrer os botequins selecionados passaram por uma peneira rigorosa, para o público em geral fazer parte do concurso Comida di Buteco será muito mais fácil: basta ir a um dos bares participantes, comer o petisco indicado e dar a sua nota. A lista de todos os concorrentes poderá ser acessada em breve através do novo site do Comida di Buteco. (foto 2 - Bar Santa Saideira - Petisco Ceu da Terra)

Como já ocorreu nos últimos três anos, o ganhador sairá de uma decisão compartilhada entre o julgamento popular e os votos de um júri de especialistas. Para ser o vencedor, o boteco deve zelar pelo atendimento, temperatura da bebida e higiene, além de, obviamente, apresentar um saboroso petisco. O peso de cada voto é o seguinte: 70% para o petisco concorrente, 10% para o atendimento, 10% para a bebida e 10% para a higiene do local.
(foto 3 - Bar do Mineiro - Petisco Trouxinha de Minas)

Com o slogan: “Eu boteco, Tu botecas, Nós Comida di Buteco”, o evento esse ano amplia o mapa da “botecagem” e chega, ao mesmo tempo, em 15 cidades brasileiras: as capitais Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Goiânia, Fortaleza, Belém, Manaus, e ainda as cidades de Campinas, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto (SP), e Ipatinga, Montes Claros, Poços de Caldas e Uberlândia (MG). Ao todo serão 329 botecos participando do festival. Só no Rio, são 31 botecos.

Serviço
Quando: de 15 de abril até 15 de maio de 2011
Quantos botecos participam no RJ: 31. A idéia é que o publico conheça um por dia.
Expectativa para a quarta edição carioca: Superar o numero de tira-gostos vendidos em 2010, de 30.000, aumentar o numero de participantes do circuito em 30%, atingir uma mídia espontânea superior ao ano anterior de oito milhões.

(obs: Aos Queridos Bares, postei 3 fotos aleatóriamente, sem preferência. Prestigio Todos e Boa Sorte!!!!)

(fonte: Malagueta Comunicação)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

A melhor chef do mundo, Anne-Sophie Pic



A francesa Anne-Sophie Pic, que comanda a cozinha do restaurante Maison Pic, foi escolhida a melhor chef do mundo entre as mulheres. A categoria dedicada às mulheres foi criada este ano. O restaurante Maison Pic fica em Valença, no sul da França.
Anne-Sophie Pic já conquistou em seu restaurante três estrelas do guia Michelin, sendo apenas a quarta mulher a conquistar a terceira estrela.
A eleição foi promovida pela conceituada revista "Restaurant" e faz parte da premiação S. Pellegrino World's 50 Best Restaurants Awards. Os outros vencedores, escolhidos por mais de 800 especialistas da área de gastronomia, serão anunciados na próxima segunda-feira (18).

fonte: Folha de SP
 
Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Omega 3

Eu estava lendo o Estadão e descobri esta matéria...

WASHINGTON - O consumo durante a gravidez do ácido graxo ômega-3, encontrado em peixes como o salmão, reduz o risco de depressão pós-parto, segundo um estudo de cientistas americanos apresentado pela Sociedade Americana pela Nutrição em um congresso nesta terça-feira, 12.

A doutora Michelle Price Judge, da Escola de Enfermagem da Universidade de Connecticut, demonstrara previamente que o consumo durante a gravidez do ácido docosahexaenoico (DHA), um ácido graxo poliinsaturado da série ômega-3, auxilia o desenvolvimento do bebê e quis saber o efeito que poderia ter na depressão pós-parto.

Para o novo estudo, analisou os hábitos alimentares de 52 mulheres grávidas que foram divididas em dois grupos. Metade tomou um placebo e às mulheres do outro grupo foram administrados 300 miligramas de DHA cinco dias por semana entre as semanas 24 e 40 da gravidez, uma quantidade similar à de meia porção de salmão.

Os especialistas acompanharam as mães e mediram sua situação emocional através de uma escala de depressão pós-parto realizada pela doutora Cheryl Beck, da Universidade de Connecticut e coautora do estudo.

Segundo outras pesquisas mencionadas pelos autores, aproximadamente 25% das mães padecem deste tipo de depressão, que afeta as relações familiares e tem consequências no desenvolvimento afetivo da criança.

A análise dos dados indica que as mães que fizeram parte do grupo que consumiu pescado foram menos propensas a manifestar sintomas relacionados com a ansiedade.

Michelle e sua equipe assinalaram durante o Congresso de Biologia Experimental 2011, realizado em Washington, que seria necessário um estudo maior para entender o porquê e o alcance dos benefícios do ômega-3 para a saúde mental da mãe.
Ainda assim, foi recomendado o consumo de peixes ricos neste tipo de ácidos graxos entre dois e três dias por semana, já que são ricos em proteínas e minerais.
Outros estudos destacaram o benefício para a saúde mental e a ajuda ao desenvolvimento cognitivo e visual das crianças.

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Perder calorias sem dietas!

Pode ficar mais fácil do que você imagina. Tente mudar alguns hábitos...
Segundo o blog Mais Nutrição comer demais é uma tendência que vem crescendo entre os brasileiros. O dado é de uma pesquisa da Organização Mundial de Saúde (OMS) que revelou: estamos consumindo cerca de 100 calorias a mais por dia em comparação há oito anos.

O nutrólogo José Golbspan, de Porto Alegre, calculou o estrago na balança a longo prazo. “São 700 calorias a mais por semana. Em um ano, esse total representa 4,8 quilos a mais no peso.” E vai piorar. “A estimativa é de que, daqui a 20 anos, as pessoas estejam consumindo mil calorias excedentes por dia”, a rmou a pesquisadora Claudia Stéfani Marcílio, no II Simpósio Internacional de Nutrição Unilever, em São Paulo. Ok, 2030 está longe.

Mas por que não começar hoje a estimular o metabolismo? Há várias medidas para isso. Aqui, você também encontra estratégias para segurar o apetite, reduzindo o consumo de calorias. Ânimo! É fácil colocá-las em prática!

Durma bem
Passar a noite em claro estimula a produção de grelina – hormônio que aumenta a fome e os estoques de gordura. Uma pesquisa da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, revelou que dormir pouco traz outro prejuízo: reduz o ritmo do metabolismo . “Quando você dorme mal, o organismo entende que precisa economizar energia”, diz a nutricionista Márcia Curzio, do Rio de Janeiro.

Turbine os músculos
Quanto mais massa magra tem no corpo, mais você gasta calorias para mantê-la. Segundo o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran), os músculos consomem até 30% mais calorias que o tecido adiposo. Isso deixa o metabolismo esperto. E você mais enxuta e definida.

Invista num café da manhã protéico
Todo mundo sabe que essa refeição é importante para despertar o metabolismo. Um estudo publicado na conceituada revista americana The Journal of Obesity não só confirmou esse efeito como mostrou que a presença de proteína (ovo, queijo, leite) no café da manhã acelera mais a queima de calorias. E ainda diminui o tamanho da fome ao longo do dia.

Masque chiclete
Sem açúcar, claro. E nos momentos em que estiver tentada a comer um doce fora de hora. O chiclete também evita que você que beliscando enquanto cozinha. Além disso, a mastigação consome entre 10 a 15 calorias em meia hora. Mas evite ficar com o chiclete na boca por muito tempo, especialmente se você tiver o estômago sensível.

Beba mais água
Ela emagrece de maneira direta e indireta. Vamos à primeira, recém-comprovada por um estudo do Instituto de Pesquisa Oakland, na Califórnia. Beber água antes das refeições estimula o centro de saciedade. Esse mecanismo representa uma economia no consumo de calorias: entre 70 e 90 por dia. A água também participa de reações químicas que levam à queima de gordura e à eliminação de sódio, responsável pela retenção líquida

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Você é dependente de cafeína?

Um estudo do Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos divulgado nesta quinta-feira (7) revela que a dependência de cafeína está mais vinculada ao fígado e à capacidade do órgão para processar a substância que ao efeito que o consumo da substância provoca no cérebro.

Os autores da pesquisa, que foi publicada na revista Public Library of Science, encontraram variantes dos dois genes que intervêm na decomposição da cafeína no fígado, e que são determinantes no momento de fazer com que uma pessoa seja mais propensa ou não a tomar café.

O estudo minimiza a importância do efeito da cafeína no cérebro, o que até agora se considerava um fator decisivo na dependência, e aponta que a quantidade da substância consumida pelas pessoas é determinada por sua maior ou menor tolerância a seu componente ativo.
Tanto o fígado quanto o cérebro influenciam no consumo, mas o pesquisador Neil Caporaso, um dos participantes do trabalho, afirmou que "é mais o fígado que o cérebro o que determina a quantidade de cafeína ingerida a cada dia".
"Talvez as pessoas pensem que tomam cafeína para se sentir bem, ou para não se sentir mal, mas a verdade é que o nível de consumo é determinado pela rapidez com que o fígado decompõe a cafeína", explicou.

"Se seu fígado a decompõe muito rápido, você provavelmente beberá mais café", acrescentou.

De acordo com o Serviço de Pesquisa Econômica do Departamento de Agricultura, o consumo de café nos EUA atingiu o auge em 1946, com cerca de 170 litros por pessoa e diminuiu gradualmente até chegar a cerca de 95 litros em 2005.
Mas essa diminuição foi acompanhada com um aumento no consumo de bebidas gaseificadas, muitas das quais têm cafeína: de 41 litros por pessoa em 1947, chegou-se a 195 litros em 2005.
Consumida com moderação, a cafeína pode combater a diminuição cognitiva, por cansaço, doença ou envelhecimento, mas muita cafeína também pode prejudicar a função cognitiva, interfere no sono e pode causar alucinações.

Quanto de café você necessita por dia?

(fonte: Estadão)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Redução do sal agora é compromisso firmado!

Olha que notícia bacana para todos nós!

A indústria de alimentos se comprometeu nesta quinta-feira (7) a reduzir o teor de sódio em 16 categorias de alimentos.
As primeiras serão as massas instantâneas, os pães e as bisnagas, que, de 2012 a 2014, terão de reduzir em até 30% o teor de sódio.
O compromisso foi selado por meio de acordo assinado de manhã pelo ministro Alexandre Padilha (Saúde) e por representantes de associações de produtores de alimentos.
Cada categoria terá um percentual de redução de sódio e um prazo diferente a cumprir.

Em julho, serão definidas as metas para pão francês, bolos prontos, misturas para bolo, salgados de milho e batatas fritas.
No final do ano, o mesmo ocorrerá com biscoitos, embutidos, caldos e temperos, margarinas, maioneses, derivados de cereais, laticínios e refeições prontas.

A expectativa do presidente da Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação) é que todo o processo acabe em 2020. Ele afirmou que a indústria está estudando a melhor forma de substituir o sódio tanto para o sabor como para a conservação dos alimentos.
 Parabéns!! Todos nós agradecemos!

(fonte: Folha)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

Gastronomix


Neste final de semana, dias 9 e 10 de abril, acontece a 3° edição do GASTRONOMIX, evento gastronômico que faz parte do Festival de Teatro de Curitiba. Com curadoria de Celso Freire, o evento contará com a presença de grandes chefs de todo o país, como Ivo Faria, do Restaurante Vecchio Sogno de Belo Horizonte, Thomas Troigros, do 66 bistrô do Rio de Janeiro, Helena Rizzo, do Restaurante Mani de São Paulo e Mônica Rangel do Restaurante Gosto a Gosto de Visconde de Mauá (RJ). Além deles, o evento contará com a participação de chefs de Curitiba, como Joy Perine do Zea Maïs, Manu Buffara do Manu, Paulinho do Don Max, Flávio Frenkel do Anis Gastronomia e Gilberto Prado do Porcini Trattoria.

Com a curadoria de Celso Freire, o evento segue o mesmo modelo das edições anteriores. Cada chef terá uma barraca com seu nome e do seu restaurante e servirá um prato, com preços muito acessíveis, a todos os participantes. Todos os chefs participantes seguirão os princípios do movimento Gastronomia Responsável, idealizado pela Fundação Boticário, que alia alimentação e conservação da natureza. Eles servirão pratos que utilizam os quatro pilares de conservação estipulados pelo movimento: utilização de ingredientes orgânicos, uso de produtos regionais, não utilização de espécies ameaçadas ou quase ameaçadas de extinção e aproveitamento integral dos alimentos.

Quem participar do evento ainda corre o risco de esbarrar com o GASPARGO, o mascote oficial do evento, que irá transitar por lá e interagir com o público. A ideia é estimular as pessoas a aderirem ao movimento, pois a culinária responsável também pode ser praticada em casa a partir de uma decisão simples sobre quais ingredientes usar e como aproveitá-los.

Quem participar do Gastronomix também contribuirá diretamente com a conservação da natureza. A cada ingresso vendido para o evento, no valor de R$ 5, R$ 1 será revertido para a Fundação Grupo Boticário, que utilizará o valor arrecadado para ações efetivas de conservação. Lembrando que o ingresso dá direito a R$ 4 de consumação nas barracas.

O Gastronomix será realizado nos dias 9 e 10 de abril no Museu Oscar Niemeyer (MON). Os ingressos são limitados e estão à venda nas bilheterias oficiais do Festival de Curitiba no Shopping Mueller, Shopping Center Palladium e no ParkShopping Barigüi.


Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Fast food X Good food

Sabe que prato é esse?
Você com certeza já comeu um, ou dois, ou vários....

Comida de fast food geralmente só é bonita em foto de anúncio. O pessoal do blog Fancy Fast Food transformou aquele monte de calorias, largadas dentro de uma caixa, em pratos mais apresentáveis, até com um certo requinte.
Como é o caso desse Big Mac!


Reconheça abaixo o lanche que você não reconheceu acima!

(fonte: MKT na cozinha)
Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

terça-feira, 5 de abril de 2011

A pimenta mais ardida do mundo!


Olhe bem... esta pimenta está sendo procurada!
Se você encontrar uma desta no meio do seu caminho..... pegue uma e mande para mim URGENTE!!!

Um empresário britânico diz ter desenvolvido a pimenta mais picante do mundo, com uma força cerca de 200 vezes superior à do molho Tabasco ou da pimenta mexicana jalapeño.

A pimenta Infinity Chilli, cultivada em Grantham, no nordeste da Inglaterra, teve sua força verificada em um teste feito pelo Centro de Cultivos da Universidade de Warwick e aguarda o reconhecimento do livro Guinness World Records.

Os testes indicaram que a Infinity Chilli tem um nível de ardência de 1.176.182 unidades na escala Scoville, criada em 1912 e usada para medir a ardência provocada pelas pimentas.

A pimenta jalapeño, reconhecida como uma das mais picantes, tem um nível entre 2.500 e 8.000 unidades na escala Scoville. A ardência do Tabasco varia entre 2.500 e 5.000 unidades.
O teste coloca a nova variedade à frente até mesmo que a pimenta Bhut Jolokia, que tem um nível de 800 mil na escala Scoville e estaria sendo usada pelo Exército indiano no desenvolvimento de granadas de mão com o objetivo de imobilizar adversários.

Capsaicina

Tecnicamente, a pimenta é uma fruta.
A ardência vem da substância capsaicina, encontrada em todas as pimentas. Sua ingestão, além de dar sabor aos alimentos, faz o corpo produzir endorfinas, hormônios que provocam sensação de bem-estar.
Apesar do óbvio desconforto imediato - para não dizer agonia total (ah vá!!!...)- após a ingestão das pimentas mais picantes do mundo, os médicos dizem não ter descoberto até hoje nenhum efeito colateral negativo do consumo.
Algumas pesquisas indicam que a capsaicina pode ser usada em tratamentos para a dor e há relatos de seu uso para ajudar a reduzir os efeitos colaterais da quimioterapia em pacientes de câncer.

Queimação
O responsável pelo desenvolvimento da Infinity Chilli, Nick Woods, de 38 anos, conta que tudo começou há cinco anos. Ele conta que no mês passado tentou provar uma de suas Infinity Chillies.
"A pimenta havia sido congelada no ano passado, então pensei que não seria tão forte quanto a pimenta fresca e resolvi experimentar", diz. "Foi um pouco amedrontador. A queimação na minha língua durou meia hora, e os efeitos não passavam. Em um certo ponto, eu estava me contorcendo de dor e pensando em ligar para o hospital", conta.

Ui!!!! Quem puder me mandar uma amostra... EU AGRADEÇO!!!!

(fonte: science to life)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Dicas Especiais

Para uma segunda feira corrida, nada melhor que aproveitar e usar algumas dicas diferentes que podem facilitar seu dia!

Sabe aquela receita de polenta, que você não vai fazer hoje e nem amanhã, mas pode ser que faça na quarta em diante (!!!)? Muitas delas pedem água morna ou quente no preparo. Mas se você quiser fazer uma polenta mais macia, leve e sem os gruminhos, basta prepará-la com água fria e ir mexendo com colher de pau até que ferva e engrosse. Ela fica espirrando, por isso pegue a maior colher de pau que tiver e se possível, mexa a polenta com a outra mão segurando a tampa. O tempo de cozimento é em média de 40 minutos (para o fubá que não é pré-cozido).

*******************************************************************************************************************

Você acabou de chegar em casa, depois de um dia inteiro de trabalho, está mega faminta e adoraria comer aquela massa básica com molho de tomates? Saiba preparar um molho de tomate ultra rápido e delicioso!

Refogue 1 lata de tomates pelados no azeite com 3 dentes de alho picados por 5 minutos. Junte 1 xícara de suco de laranja e cozinhe por 10 minutos. Sirva sobre massas, pizzas, etc.

*******************************************************************************************************************

Depois da massa, vale uma sobremesa, né? Que tal inovar aquele bolo comprado pronto com uma cobertura rápida e fácil?

Misture partes iguais de creme de leite e iogurte natural. Adoce com açúcar de confeiteiro ou do jeito que quiser e cubra o bolo ou sirva acompanhando...huummmm.

*******************************************************************************************************************

Você é muito chique e em plena segunda feira quer tomar um biri-night? E adoraria tomar um espumante ou champagne? Você pode gelar sua bebida em 20 minutos?

Coloque cubos de gelo num balde, alguns copos de água gelada e 4 colheres (sopa) de sal, de preferência grosso. Acomode a garrafa e complete com água e gelo até encher. Esta dica serve para gelar vinhos e cerveja.

Boa semana, em alto estilo, com entrada, prato principal, sobremesa e ainda por cima uma bebidinha para acompanhar do começo ao fim!!!!!

(fotos: polenta e champagne)

Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você