sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Uma excelente ideia no aeroporto de São Paulo


"Bem-vindos a São Paulo, temperatura 27 graus, obrigado por voar por nossa companhia. Tenham um excelente final de semana e aproveitem esta cidade que não pára nunca." Isso foi o que o comandante do vôo, Sérgio Meira (um parente??) disse hoje para nós, passageiros da ponte aérea Rio/São Paulo, quando chegamos na capital paulista às 16h. E o ritual começou, ainda no avião:
espera a porta do avião abrir,
espera o fofinho do corredor te dar passagem, espera o mocinho pegar a mala executiva que ganhou do tio,
espera o casal de namorados se espremer no corredor das poltronas e passar na sua frente, juntinhos, sem dizer nada (claro, a mocinha está de óculos escuros, dentro do avião, pois acha que é a Madonna e, desculpe, ela não te viu!) e espera a sua vez de sair do avião. Assim que você sai a sensação é que foi dada a largada para mais um campeonato de quem pega a mala mais rápido. Todos saem correndo, com os celulares e rádios ligados (mesmo que não seja permitido) por que todos têm pressa de falar com todos, na mesma hora... É sempre assim nestes vôos nacionais.
Chega a hora de esperar por sua mala, na esteira, que vem em ondas e as malas salpicadas a gosto do funcionário, que lá atrás, sem você ver, jogou a sua mala de qualquer jeito e você tem certeza que ele não fez isso, afinal você está viajando de avião e só pessoas chiques e famosas viajam de avião e o tratamento é diferenciado! Depois da mala laranja, da preta com fitilho verde, da cor de rosa (da mocinha de óculos escuros), veio a minha mala preta. Aleluia!! Cheguei a São Paulo. Vou para casa!
Atravesso a porta de vidro, onde, do outro lado, pessoas com cara de tédio, aguardam outras com placas nas mãos. Pessoas que não se conhecem, mas sabem os nomes, cargos, funções e até que roupa estão usando naquele momento. Abraços de um lado, corre-corre do outro, me safei destes obstáculos e, como todos, andei bem rápido, como numa corrida em marcha, até o lado externo do aeroporto de Congonhas. Chego na calçada e...........................vejo que São Paulo PAROU!!!

SIM! São Paulo, a cidade que não pára, PAROU! Congestionamento MEGA. Mega enorme? Não! Mega comum nos dias de hoje. E eu já estou desacostumada. Meus pais, que iriam me buscar, deram o aviso: "Dani, senta num lugar confortável pois estamos num congestionamento e não sabemos que horas vamos te pegar!!"

O que fazer?

Voltei para dentro do aeroporto quando me deparo com algo INACREDITÁVEL!!
Aleluia, alguém pensou nos passageiros que vem a São Paulo!!! Pois não é que abriram, no setor de desembarque, um estabelecimento simpático, bonito e com todos aqueles quitutes que gostamos!!!! Fui direto para este local, sentei-me e pensei: "Era tudo o que precisava ter neste aeroporto". O local chama-se Fly Café e foi aberto há mais ou menos 6 meses. Tem várias mesinhas confortáveis, os funcionários são atenciosos, lá servem o chopp escuro Brahma (que eu adoro), tem porções tipo azeitonas, salame, frios, bebidas como café, mate, água e afins e salgados.
O local não poderia estar situado num lugar melhor. As pessoas que chegam a São Paulo VÃO ter que esperar a carona chegar, isso é claro, então podem esperar neste local, tomar uns chopps, comer uns petiscos com seus amigos ou sozinho mesmo (como eu fiz hoje) e aguardar, enquanto lá fora a cidade está parada!!!! Parabéns pela ideia, pelo local e pelo atendimento! Quando for tomar um chopp no Fly Café, atentem para as fotos em preto e branco, bem posicionadas.











Daniela Meira - produtora de culinária Mais Você

Um comentário:

COZINHANDO PELO BRASIL disse...

Dani , sou seu fã dearteirinha o texto está maravilhoso.. adorooooo.
parabéns , é um prazer ler seus textos.
te amo e vc sae disso